J.Moraes promove palestra sobre OEA

A J.Moraes promoveu, em janeiro, em São Paulo, uma palestra sobre o Programa Brasileiro de Operador Econômico Autorizado – OEA, da Receita Federal do Brasil – RFB, ministrada pelo auditor fiscal aposentado Antonio Russo Filho, que ajudou a construir o programa, implantando oficialmente no Brasil em 4 de dezembro de 2014, com a publicação da Instrução Normativa 1,521.

Russo fez uma explanação das iniciativas da Receita desde 2005, quando o programa começou a ser desenhado, mostrou os avanços já sentidos e como as empresas devem proceder para obter a certificação OEA. “Todos nós entendemos que não é mais possível fazer análise de risco e interromper o fluxo logístico por feeling do fiscal, indícios ou aparências”, explicou o palestrante.

Dessa forma, o programa propõe tornar ágil e segura as trocar internacionais por meio da confiabilidade das Aduanas com as empresas de cada país. Mais do que isso, a certificação possibilitará que as empresas se tornem mais competitivas e integradas.

Oficialmente, o OEA é uma adesão voluntária e objetiva, e a RFB espera que até 2019 50% das declarações de exportação e de importação registradas no país sejam feitas por empresas certificadas OEA.

Para solicitar a certificação, a empresa deve se adequar ao Programa no cumprimento de requisitos de segurança e compliance. O prazo para a certificação é de até 180 dias, contados a partir da entrada no processo que é feito por meio do site da Receita.

São passíveis de obter a certificação empresa de pequeno, médio e grande portes. E podem se tornar um OEA importadores, fabricantes, exportadores, despachantes, aduaneiros (pessoa física), transportadores, depositários (sob controle aduaneiro) e operadores.

Vale ressaltar que o OEA vai substituir, ainda este ano, o Linha Azul. “Quem já é Linha Azul vai receber certificação provisória e poderá pleitear o OEA seguindo algumas instruções e atendendo os requisitos do programa”, alertou Russo.

“O processo para a certificação é um tanto meticuloso e é compreensível por se tratar de uma questão relacionada à segurança. Uma vez obtida, a empresa deverá informar à RFB qualquer modificação que houver, diferentemente da informada no início do processo. A RFB indicou que em três anos de certificação poderá rever os processos e consequentemente as empresas certificadas”, informou ao auditor.

João Moraes destacou a relevância do tema e enfatizou que é necessário fazer uma avaliação dos benefícios adquiridos com a certificação. “Promovi o evento para esclarecer as principais dúvidas”.

Já o auditor Russo enalteceu a ação. “Quero agradecer à J. Moraes pela iniciativa de tentar esclarecer os clientes e parceiros para um ponto importante que atinge toda a cadeia logística. Seria muito interessante se pudéssemos ser agentes multiplicadores dessa ação”, concluiu.

O auditor Antonio Russo Filho presta assessoria para a obtenção da certificação OEA e os interessados podem entrar em contato por meio do endereço de e-mail: [email protected]

View Fullscreen
Clipping J. Moraes e com tags , , , , , , , .

The original text of this page has been automatically translated into the English language through Google Translate and may contain agreement errors.

El texto original de esta página ha sido traducido automáticamente al idioma Inglés a través de Google Translate y puede contener errores acuerdo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>